Paredes que Respiram

Uma família emite em média cerca de 14 litros de humidade para a casa todos os dias. À medida que construímos cada vez mais edifícios com índices de isolamento elevados para melhorar a eficiência energética, esta humidade fica presa em casa levando à formação de condensação e mofo. Esse mofo no interior dos edifícios tem um efeito adverso na saúde dos ocupantes e apresenta ligações com certos problemas de saúde como a asma.

Tendo conhecimento que passamos cerca de 90% do nosso tempo no interior de edifícios e que as placas de gesso cartonado correntes são responsáveis pela emissão de gases nocivos para o meio ambiente, Tom Robinson, CEO da Startup Adaptavate, desenvolveu uma placa de isolamento que “respira”: a Breathaboard.


Utilizando um sub-produto proveniente das culturas agrícolas e um ligante natural, desenvolveu uma placa totalmente biodegradável, que no final do seu tempo de vida poderá ser compostável, para vir a ser posteriormente utilizada como fertilizante. A placa Breathaboard regula passivamente a humidade existente no interior dos edifícios, reduzindo assim, a condensação e a formação de mofo. 

Estas placas são mais leves e são instaladas da mesma forma que as placas de gesso cartonado correntes, mantendo-se assim o mesmo método construtivo. Apresentam também bom isolamento acústico e resistência ao fogo.

Com o desenvolvimento desta placa, Tom Robinson venceu o Green Alley Award em 2015. Espera iniciar a comercialização em breve e acredita que esta solução irá apresentar um custo semelhante às placas correntes, tornando-se assim uma excelente alternativa no mercado da construção.


Site pesquisado: http://www.adaptavate.com/
© DDN - Copyright 2020 | Privacidade
Developed by
OPTIMIZING CONCEPTS
Voltar ao topo