Certificações Ambientais na Construção Civil

Com a consciência ambiental a ganhar cada vez mais força no setor da construção civil, foi dado um novo passo, através do compromisso materializado sob a forma de certificações ambientais que avaliam o desempenho das obras nesta vertente, a saber: as Certificações LEED®, BREEAM® e VERDE®.

A certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) foi criada pelo United States Green Building Council (USGBC) em 1993 para fomentar o desenvolvimento de construções baseadas em critérios sustentáveis e de elevada eficiência, caracterizando-se por avaliar a sustentabilidade da construção em cinco áreas principais: localização sustentável; proteção e eficiência da água; eficiência energética e energias renováveis; conservação de materiais e de recursos naturais, e; qualidade do ambiente interior.

Cada categoria possui pré-requisitos e créditos: pré-requisitos são obrigatórios para que se possa obter a certificação, já os créditos são onde se pode realmente obter pontuações que irão contribuir para o nível de certificação almejado. Um exemplo de crédito é o de Energias Renováveis, inserido na categoria de Energia e Atmosfera. Aqui, obtém-se uma pontuação pela inserção de um sistema de energia renovável na sua edificação, que pode ser, por exemplo, pelo uso de placas fotovoltaicas e atingir uma meta de desempenho comprovada, recebendo uma pontuação para o crédito. Resumindo, o sistema de classificação premeia de acordo com o que fizer pela edificação.

Somando todas essas otimizações na edificação, que podem chegar até a 70 estratégias, os edifícios são certificados da seguinte forma: Certified: 40 pontos; Silver: 50 pontos; Gold: 60 pontos, e; Platinum: 80 pontos ou mais.

A certificação BREEAM (Building Research Establishment Environmental Assessment Method), emitida pelo BRE Global (Building Research Establishment Limited), trata-se de uma avaliação independente e internacionalmente conhecida do desempenho ambiental de edifícios. Esta certificação BREEAM analisa durante as diferentes fases de construção, dez aspetos de impacte ambiental (cada um deles com diversos critérios, denominados créditos), a saber: Consumo de Energia, Consumo de Água, Uso do Solo, Resíduos, Materiais, Poluição, Transporte, Saúde e Bem-Estar, Inovação e Gestão.


O BREEAM utiliza medidas de desempenho determinadas em função das marcas de referência estabelecidas para a avaliação do projeto, construção e uso de uma edificação. Tais medidas são aplicadas a partir de categorias e de critérios de caráter prescritivo, com um alto nível de especificação e detalhe.

A avaliação é feita por um organismo licenciado em diversas fases do ciclo de vida de uma edificação, fornecendo aos clientes, projetistas e ao mercado, benefícios como: reconhecimento do mercado para edifícios de baixo impacte ambiental, confiança de que foram incorporadas no edifício práticas ambientais devidamente testadas, marca de referência superior às regulamentares, sistema que auxilia a reduzir custos operacionais e melhorar os ambientes domésticos e de trabalho, padrão que demonstra o progresso em relação aos objetivos ambientais, organizacionais e corporativos.

A avaliação desse sistema é baseada em pontuação e não exige o cumprimento de pré-requisitos. São 100 pontos, distribuídos por 9 categorias, com créditos ponderados, sendo a pontuação mínima para garantir o primeiro nível de certificação (PASS) a de 30 pontos, que concede apenas o título de empreendimento certificado. A partir daí, pode obter-se as seguintes classificações: Good (45 pontos), Very Good (55 pontos), Excellent (70 pontos) e Outstanding (85 pontos).

A certificação VERDE é uma metodologia para a avaliação e certificação ambiental de edifícios, desenvolvida pela Associação GBC Espanha que é baseada num método de atuação de acordo com a filosofia do Código Técnico da Construção espanhol e das Directivas Europeias. Na base estão os princípios da bioarquitetura e da construção do edifício que respeitam o ambiente, compatível com a envolvente e os mais elevados níveis de conforto e de qualidade de vida dos seus utilizadores.



Os critérios de avaliação estão agrupados em diferentes áreas temáticas: seleção do local, projeto de implantação e planificação, qualidade do espaço interior, energia e atmosfera, qualidade do serviço, recursos naturais e impacto socioeconómico.


Site pesquisado: https://www.bureauveritas.pt/os-nossos-servicos/servicos-de-construcao/fase-de-operacao-do-edificio-gestao-de-ativos/assessoria
© DDN - Copyright 2020 | Privacidade
Developed by
OPTIMIZING CONCEPTS
Voltar ao topo