O plástico faz parte do nosso quotidiano, podendo encontrar-se no nosso dia-a-dia sob variadas formas, desde garrafas, fraldas, sacos, etc. O problema reside na forma como reutilizamos estes produtos, visto que o plástico não é um material biodegradável e apresenta um potencial poluidor muito elevado.

Toby McCartney e a sua equipa experimentaram mais 600 misturas de polímeros até encontrar uma que funcionasse. A “receita” final, quando misturada com o asfalto comum, dá origem a estradas dotadas de maior resistência e durabilidade.

Foto 1

Os resíduos plásticos são peletizados em pequenos grânulos e substituem 20% do betume à base de óleo que sela as estradas tradicionais, fazendo com que cada tonelada de asfalto contenha aproximadamente 20.000 garrafas plásticas descartáveis ​​ou cerca de 70.000 sacos de plástico descartáveis, resolvendo assim, dois grandes problemas: a reutilização do plástico e a melhoria das vias de comunicação.

De acordo com McCartney, o seu aditivo plástico é mais económico e contribui para uma “cola” mais forte, tornando as estradas 60% mais resistentes do que as estradas tradicionais. Para além disso, os testes de laboratório realizados, projetam que essas estradas poderão durar até três vezes mais. No entanto, o tempo será o verdadeiro teste para ver se resistem ao desgaste.

 

Site pesquisado: https://edition.cnn.com/2018/07/02/world/macrebur-plastic-roads/index.html?no-st=1531124054